10/04/2020

O QUE É A AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL? CONFIRA COMO ELA PODE MUDAR A INDÚSTRIA


Compartilhe:

O que é a automação industrial? 

A automação na indústria consiste, basicamente, na adoção de máquinas, equipamentos e softwares capazes de realizar e controlar a execução de tarefas da produção. Portanto, não deve ser confundida com a mecanização, que se limita a facilitar a execução dessas tarefas ao substituir o esforço físico, mas sem assumir o controle do processo.

No contexto da Transformação Digital, a automação agrega tecnologias como a dos sensores de IoT para levantar dados e produzir indicadores. Desse modo, o controle de cada processo e até mesmo de cada componente, de cada máquina, pode ser monitorado em tempo real para alimentar com informações o setor de manutenção, por exemplo, que pode atuar de forma mais efetiva com a manutenção preditiva.

Essencialmente, estamos falando de uma nova forma de usar os dados, que podem ser compartilhados em toda a cadeia produtiva. Assim, até mesmo os fornecedores de determinada indústria podem se esforçar para alinhar prazos, procedimentos e características diversas de seus produtos e serviços, de modo a atuar para melhorar esses números.

Quais os impactos dela na indústria?

Além de tudo isso, a automação assume tarefas operacionais padronizadas, muitas vezes repetitivas e trabalhosas, que ocupam muito tempo das equipes de colaboradores. Livres dessas atividades, todos podem assumir uma postura mais estratégica, o que tem um impacto determinante em vários aspectos e de forma contínua, pois o foco estratégico atua na identificação de pontos fracos e na busca de soluções para eliminá-los.

Como resultado, o primeiro e mais marcante efeito é um aumento imediato da produtividade, independentemente, inclusive, da assimilação dessa abordagem estratégica, que pode não ser tão imediata, uma vez que depende de uma mudança cultural dos envolvidos.

Contudo, mesmo antes que as pessoas se adaptem, a redução de custos é outro aspecto significativo. Esses dois fatores são tão marcantes porque a automação diminui a incidência de erros na mesma proporção que elimina a intervenção humana, aumenta a agilidade, a velocidade e a precisão. 

Dito isso, precisamos insistir em um ponto que precisa ficar muito claro: a automação assume o controle porque tem a capacidade de levantar dados sobre os processos. Os ganhos que ela oferece não se limitam ao ganho mecânico.

Em outras palavras, o aumento da produtividade não é percebido apenas em razão de dobrar o número de peças fabricadas em um dia, por exemplo, mas por garantir que cada recurso aplicado na produção desses itens seja aproveitado ao máximo, que o valor imobilizado em estoque possa diminuir ainda mais e assim por diante.

No final, é muito mais sobre otimização, integração e estratégia competitiva, do que sobre a operação. Em resumo, podemos relacionar objetivamente benefícios como:

  • redução de custos;
  • aumento da produtividade;
  • redução de erros;
  • aumento da qualidade;
  • aumento da segurança: inclusive ao assumir tarefas de risco;
  • maior controle;
  • autonomia;
  • flexibilidade;
  • diminuição de paradas não programadas;
  • precisão.

Como adotar a automação na indústria?

No decorrer do texto você notou que mencionamos que a automação na indústria produz efeitos mais profundos depois que as equipes se adaptam às mudanças. Isso pode levar alguns gestores a desenvolver um longo trabalho prévio de capacitação e para a mudança cultural, antes de promover a automação.

Desse aspecto, é preciso encontrar equilíbrio. É óbvio que a capacitação é fundamental, bem como a conscientização das pessoas de que esse é um processo irreversível que permite que todos se adaptem. Contudo, isso não pode atrasar o processo de adoção.

Além disso, quando as pessoas ficam mais livres de tarefas manuais, elas ganham o tempo que precisam para se adaptar. Enquanto isso, a indústria, agora automatizada, pode colher os benefícios imediatos de aumento da produtividade e da redução de custos.

Faça um diagnóstico

Conhecer os processos, os gargalos e pontos fracos em suas fases, e as limitações estruturais e da equipe é fundamental para elaborar um plano efetivo, otimizado e capaz de evitar problemas durante a transição.

Defina objetivos

Com base nesse diagnóstico, fica fácil e natural determinar o que você precisa fazer no caso específico da sua indústria, quais as prioridades e prazos. Desse modo, é possível definir objetivos e metas para começar a desenhar um cronograma.

Planeje a implantação

É esse o momento no qual você organiza os objetivos na forma de um cronograma, determina soluções, medidas prévias, a escolhas das soluções, o treinamento da equipe e a forma de acompanhamento do processo de automatização.

Se possível, considere executar pilotos antes de escalar os processos. Começar por uma pequena unidade pode ajudar a identificar dificuldades e a fazer ajustes.

Conte com especialistas

Contudo, você não é o primeiro a incrementar sua operação com esse tipo de inovação, o que significa que pode conhecer casos de sucesso de outros empreendedores e contar com empresas especialistas no processo.

Esses profissionais conhecem tanto de inovação quanto você da sua atividade, pois fazem isso todos os dias, em diferentes indústrias, com variados problemas e oportunidades de somar experiências.

Somada a sua prática, experiência e conhecimento sobre o seu negócio, a expertise dos especialistas sobre o que é automação industrial e como ela pode ajudar a indústria aceleram e otimizam o processo.