09/08/2021

CONFIRA 3 DICAS DE COMO REALIZAR A AUTOMAÇÃO NA INDÚSTRIA AGRÍCOLA


Compartilhe:

O QUE É A AUTOMAÇÃO NA INDÚSTRIA AGRÍCOLA?


A necessidade é o maior veículo propulsor da humanidade. Nossa espécie costuma apresentar desenvolvimento mais rápido sempre que uma necessidade urgente é posta, e esse é um dos principais motivos pelo qual a automação se faz cada vez mais presente na agricultura — pois é preciso alimentar um contingente populacional cada vez maior.
Perceba o desafio: a área agricultável é finita. Isso quer dizer que precisamos desenvolver melhores técnicas de produção antes mesmo de alcançarmos a última área em que ainda seria possível fazer uma plantação. A chave para conseguir esse feito, ao que tudo indica, é a inclusão de processos automáticos em todo o ciclo produtivo.
Automatizar a indústria agrícola significa usar recursos computacionais e robôs de forma cada vez mais intensiva, no intuito de aumentar a produção auferida no campo. Por meio de máquinas autônomas, drones e inteligência de negócios, é possível automatizar as tarefas repetitivas executadas por pessoas. É assim que a capacidade pensante do agricultor é liberada para refletir sobre aspectos estratégicos do negócio, expandindo a produção e alcançando melhores resultados.


QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS QUE A AUTOMAÇÃO PODE PROPORCIONAR À AGRICULTURA?


Grandes vantagens podem ser conseguidas usando os aparatos tecnológicos disponíveis atualmente. Conheça, a seguir, alguns dos benefícios alcançados.
 

PRODUTIVIDADE


O aumento da produtividade se dá por mecanismos de controle automático. Isso quer dizer que, em vez de um trator ser pilotado por um ser humano, os dados da rota a ser percorrida podem ser imputados em um sistema, e o maquinário se conduz sozinho. Assim, um único operador pode controlar uma frota inteira no lugar de ter uma pessoa para cada máquina, com o turno de trabalho podendo ser estendido.


EFICIÊNCIA


O uso de maquinários específicos é capaz de aumentar consideravelmente a eficiência dos processos necessários ao plantio no campo. Um exemplo disso é a precisão alcançada. Antigamente, o plantio era feito de modo manual e, dificilmente, atingia-se um padrão de excelência nessa atividade. Com as plantadeiras, as sementes podem ser postas na profundidade exata e nos sulcos corretos.


QUALIDADE


Outro ponto de grande destaque na adoção de processos tecnológicos no campo é o aumento da qualidade dos produtos cultivados. Um grande exemplo disso é o processo de colheita. Quando feito por meio de máquinas tradicionais, os produtos podem sofrer avarias que diminuem seu valor. Os tratores autônomos, por sua vez, são equipados com sensores de alta sensibilidade, capazes de preservar as características iniciais do fruto.
 

COMO REALIZAR UMA AUTOMAÇÃO NA INDÚSTRIA AGRÍCOLA? CONHEÇA 3 POSSIBILIDADES!


A aliança entre tecnologia e agronegócio pode render muitos frutos. As áreas agricultáveis são grandes, e contar com dispositivos automáticos gera um ganho de tempo muito expressivo. Veja, a seguir, algumas dessas possibilidades.


1. DRONES


Os veículos aéreos não tripulados sugiram recentemente, alterando positivamente a operação de vários ramos de negócios. Com o agronegócio não foi diferente, pois as áreas de cultivo são bastante extensas e o auxílio provido é de grande ajuda. Por meio do uso de drones, é possível monitorar uma área bem maior do que aquela feita manualmente.
Um exemplo dessa aplicação é a identificação de zonas atingidas por doenças e pragas. Antes dos aparelhinhos voadores, era necessário combater uma grande área caso houvesse a mínima ocorrência de algum mal. Agora, isso não é mais necessário. Ao identificar uma região afetada, basta aplicar defensivos agrícolas naquela parte, evitando a proliferação da praga ou doença. A economia com a atividade de pulverização se torna bem relevante.


2. TRATORES AUTÔNOMOS


A operação de equipamentos sem a necessidade de operador já é uma realidade no mercado mundial. São os chamados veículos autônomos. A grande questão é que, agora, isso também pode ser aplicado nas fazendas, por meio de tratores que conseguem se operar sozinhos. O progresso é tão grande que já existem conjecturas de fabricar máquinas desse tipo que nem sequer teriam cabines.
A ideia é que o trator utilize um grande aparato tecnológico para ele mesmo controlar seu percurso, alterando a velocidade sempre que necessário e desviando de eventuais obstáculos, ao mesmo tempo que envia todos os dados de seu trabalho a um banco de dados existente na própria fazenda. Posteriormente, essas informações podem ser analisadas para fornecerem importantes insights, que ajudarão na tomada de decisões futuras.


3. PROCESSOS AUTOMÁTICOS


Assim como na indústria, no campo também é possível adotar processos automáticos para gerar ganho de produtividade, aumentando a eficiência da lavoura. Por meio da coleta automática de dados, fica mais fácil analisar os resultados de cada operação e fazer com que os novos ciclos sejam ainda melhores que os anteriores.
Isso pode ser conseguido em qualquer fase de um processo agricultável: desde o plantio até a colheita, passando pelos tratos culturais e demais atividades acessórias. Contar com softwares computadorizados que coletam, armazenam e analisam os mais diferentes tipos de dados é um grande avanço para o setor, pois seria humanamente impossível realizar essas tarefas manualmente.
Afirmar que a automação na indústria agrícola é um grande vetor de crescimento não é, em nada, exagerado. A aplicação de tecnologia no campo vem aumentando a capacidade produtiva a cada ano, usando a mesma área agricultável. Contar com um excelente parceiro é essencial para mecanizar o campo, e a Therba pode ajudar você nesse aspecto. Já são mais de 51 anos ajudando o mercado por meio do fornecimento de sensores e dispositivos de automação da produção.
Gostou do conteúdo? Então, entre em contato conosco e conheça melhor as soluções em automação que dispomos para ajudar você!